Ceará para americano ver

sexta-feira, 5 de março de 2010

História da família Barros no Brasil

A família Barros teve entrada no Brasil pela Bahia, destacando-se Afonso da Franca, "o velho", homem honrado e fidalgo de bom procedimento segundo Frei Jaboatão, que veio para a Bahia em 1602. Era casado com D. Catarina Corte Real, com quem tivera vários filhos. Dentre seus filhos destacam-se: João de Barros de Franca, que lutou nas guerras contra os holandeses e faleceu solteiro; Margarida da Franca, primeira esposa do grande Salvador Corrêa de Sá; Leonor da Franca, casada com Manuel Gonçalves Barros, tiveram como filho Manuel de Barros da Franca, militar que se destacou no Brasil e em Portugal, tornando-se fidalgo da Casa Real, “em atenção ao seu grande valor, disciplina militar, e eqüestre muita experiência da guerra”; Pedro Gomes da Franca Corte Real, alferes, capitão de infantaria, mestre de campo, também faleceu solteiro.
O pai de Afonso da Franca chamava-se Lancerote da Franca, tornou-se um dos heróis que lutaram no cerco de 1625 em que os holandeses foram expulsos da Bahia. Comandava a nau Caridade, sob as ordens de D. Fradique de Toledo. Foi ele que levou até Recife a notícia da restauração da Bahia. Morreu em Olinda, velho e doente, ainda disposto a lutar contra os holandeses.
Um dos netos de Afonso da Franca destacou-se também como herói. Trata-se de Manuel Gonçalves de Barros, chamado “Capitão Manuel”, um dos chefes das guerrilhas feitas contra os holandeses sob o comando do bispo D. Marcos Teixeira. Era casado com D. Leonor da Franca, natural de Tânger.
Outro varão desta família chamava-se Gaspar de Barros de Magalhães, fidalgo que viveu no Recôncavo baiano. Veio de Portugal empobrecido, mas na Bahia amealhou riqueza, tornou-se homem de muitas posses. Casou-se com D. Catarina Lobo de Barbosa Almeida, com quem teve muitos filhos, ao todo cerca de 20, alguns bastardos.
No final do século XVII vieram para a Bahia Manoel Fernandes de Barros, procedente da Ilha da Madeira, casado com D. Cecília Soeira, e D. Maria de Barros, procedente de Braga, Portugal, que aqui casou-se com João Borges de Macedo. Destes dois casais se originaram os “Barros Soeiro” e os “Borges de Barros”.
Os Barros foram mais numerosos na Bahia, havendo apenas um pequeno núcleo em Pernambuco. Sabe-se que o donatário da malograda Capitania do Ceará era Antônio Cardoso de Barros e que nem chegou a colonizar as suas terras, tendo deixado como lembrança apenas restos de uma fortaleza inacabada em Camocim, encontrados posteriormente em 1614. Outro donatário fracassado foi João de Barros, que juntamente com Aires da Cunha recebeu as capitanias do Rio Grande do Norte e do Maranhão. João de Barros foi o famoso cronista português, que teve a malograda experiência de tentar explorar suas capitanias por duas vezes sem sucesso, em 1535 e 1555. Foi mais bem sucedido como cronista, tornando-se um dos historiadores mais sérios e consultados de Portugal.
Em Pernambuco, surgiu um Rodrigo de Barros Pimentel, casado com uma filha de Arnao de Holanda, D. Maria de Holanda. Teve um filho com o mesmo nome, casado com D. Jerônima de Almeida, de onde tiveram uma filha que veio para a Bahia aliar-se com a família Lins. Não se sabe porque, mas uma das filhas de Arnao de Holanda se chamava D. Brites de Barros, e não trazia o sobrenome do marido que se chamava Antônio Coelho de Carvalho. Tampouco trazia o sobrenome da mãe que se chamava Brites Mendes de Vasconcelos. Talvez fosse uma homenagem ao padrinho. Naquela época era comum as pessoas se batizarem depois de adultos e aí tomarem o nome do padrinho, ficando como legítimo o nome registrado no batismo.
Um outro Barros que se tornou famoso em Pernambuco foi o Conde da Boa Vista, Francisco do Rego Barros, aristocrata que se formou em Paris e manteve sempre um tônus de “grand seigneur”. Foi Presidente da Província de Pernambuco a partir de meados do século XIX, fazendo de Recife uma cidade comparável a algumas metrópoles importantes da Europa. Seu nome é lembrado em Pernambuco como um grande patriota.
Dentre as mulheres, destacamos a figura de Antonieta de Barros, nascida em 1901 em Florianópolis, que na década de 20 tornou-se a primeira deputada negra do Brasil. Intelectual e educadora, na primeira eleição em que as mulheres puderam votar e serem votadas filiou-se ao Partido Liberal Catarinense e elegeu-se deputada estadual. Usando o pseudônimo de Maria da Ilha escreveu o livro Farrapos de Idéia.
É importante se observar que não temos condições de afirmar de qual família se originaram os Barros atuais, a não ser que se faça um rigoroso levantamento genealógico das famílias atuais e seus entroncamentos com os ancestrais do tempo da colônia. Isto não ocorre só com os Barros, mas com muitas outras famílias, como por exemplo, os Souza, os Lopes, os Pereira, etc. Diferentemente do que ocorre com os Cavalcanti que tiveram só um patriarca da estirpe. No entanto, fizemos o demonstrativo acima para aquilatar o valor desta família que trouxe também para o Brasil ricos predicados morais, intelectuais e materiais. Vejam abaixo que há divergências também do brasão antigo para os atuais, talvez por causa da diversificação da estirpe.

51 comentários:

  1. Maravilhoso, Parabéns!!!!
    Sou de uma linhagem recente dos Barros, tenho 28 anos, me interessei pelo documento postado queria saber como e onde tenho acesso a ele?
    Meu email é pinuja@ibest.com.br, agradeço se puder me supre com essa informação...Espero resposta, Abraços..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. caranba tao bom que quase pedir a voz eu sou descendente da familia ANDERSON BARROS

      Excluir
  2. Parabéns ótima reportagem também sou da familia barros muito obrigado

    ResponderExcluir
  3. Meu avô materno tinha Barros da Silva. Gostaria de saber como posso ter acesso ao documento?

    oscarfreud1856@hotmail.com

    Obrigado

    ResponderExcluir
  4. Meu sobrenome paterno é Barros e Silva, há algumas gerações. Meu pai é natural de Recife. Gostaria de saber onde posso encontrar mais informações.
    Meu e-mail: jan-b8@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Gostei da materia, sou um Barros, sei que meu avó tem origem Portuguessa.
    desejo pesquisar mas sobre a origem dos Barros.

    ResponderExcluir
  6. como posso acessar o documento isaias _barros1985@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Também sou Barros e se não for pedir muito , seria muito bom também ter acesso ao documento. Se possível. Michelle Barros

    Chellebarros@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Amei!!! Pertenço também a essa linhagem. Gostaria muito desse documento. Meu e-mail é soteropolitana@click21.com.br. Agradeço desde de já!!!

    ResponderExcluir
  9. sou Gabriela Barros e meu avô me disse Q seu pai era dono de uma ferrovia em Pernambuco, mas com um tempo ele perdeu tudo.Porque gostava de apostas.

    obs.: eu ñ sei se é verdade.

    ResponderExcluir
  10. Su Miriam Barros da Silva,meu pai era Elizeu Barros(vindo de Bonito PE e filho de André Barros(Portugues de Lisboa),).Tenho uma comu no meu orkut sobre a familia Barros.Meu email é miriambarros2000@hotmail.com

    ResponderExcluir
  11. Sou barros e fico imaginando minhas orígens que de nobres se tornaram pobres.

    ResponderExcluir
  12. minha sogra tem o sobrenome barros..mas desconhecemos a historia da sua familia pois a sua mae esteve no sertao do ceara. poderia nos ajudar com alguma pesquisa sobre essa familia no ceara brasilerio?...meu email é lilicacsilva@hotmail.com

    ResponderExcluir
  13. Maravilhoso, Parabéns!!!!
    Sou de uma linhagem recente dos Barros, tenho 28 anos, me interessei pelo documento postado queria saber como e onde tenho acesso a ele?
    Meu email é novsky_17@hotmail, agradeço se puder me supre com essa informação...Espero resposta, Abraços..Pedro Barros

    ResponderExcluir
  14. Eu também sou Barros da Silva, gostaria também do documento. E-mail: silviabarros5@hotmail.com

    ResponderExcluir
  15. eu gostaria de ler o o documento acima
    como eu consigo ele?
    meu nome é Gustavo Custódio Barros
    de mg
    gustavo03131@hotmail.com

    ResponderExcluir
  16. eu faço parte da familia Barros tbm, tenho decendencia de holandeses , sou nascido em são paulo mas meus pais são provenientes de pernanbuco e alagoas....
    me interessei pela materia e tbm gostaria de ter acesso ao documento, se possivel...

    lucasallesgute@hotmail.com

    grato!

    ResponderExcluir
  17. Sou de uma linhagem recente dos Barros, tenho 17 anos, me interessei pelo documento postado queria saber como e onde tenho acesso a ele?
    Meu email é djesdras_barros@hotmail.com, agradeço se puder me fornecer essa informação...Espero resposta, Abraços...

    ResponderExcluir
  18. meu avo se chama celso barros da silva e meu nome é celso marcondes barros da silva, minha mae marisnete barros da silva.

    queria ter acesso ao documento tb, tem como?

    celsokayran@hotmail.com

    obrigado

    ResponderExcluir
  19. meu avo se chama " celso barros da silva " minha mae "Marisnete barros da silva" eu "celso marcondes barros da silva"
    posso ter acesso ao documento?

    celsokayran@hotmail.com

    obrigado

    ResponderExcluir
  20. Meu bisavô chamava-se Inacio Romero Cavalcanti c.c. Ceciliana de Barros Cavalcanti eles moravam no Recife.Existe alguma fonte que tenha como me ajudar?
    engraciaregis@hotmail.com
    Agradeço a colaboração

    ResponderExcluir
  21. amei ler esse documentário! sou lilian teixeira barros...mas da família barros recente tbm, tenho 17 anos! obg ficou muito legal mesmo...bjos

    ResponderExcluir
  22. Parabéns. Também gostaria de mais informações.
    kathleen_barros@hotmail.com.

    ResponderExcluir
  23. sou dá familia barros, também gostaria de saber ocmo tenho acesso ao documento.
    meu email: antoniobarrosp2@hotmail.com

    ResponderExcluir
  24. Parabéns ! Sou da família Barros, sul de Minas e nem imaginava essa história!! Devo ter muitos parentes por aí !! Muito bom! Gostaria de saber ao certo, minhas origens. Como posso fazer ? Letícia da Cunha Barros . Meu email é: leticiacbarros@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  25. muito bommm \o/
    sou da família Barros aqui do Pernambuco.
    gostaria de ter acesso a este documento. seria possível?!

    dandanzinha@fmgr.edu.br

    grata!

    ResponderExcluir
  26. me interesei pelo documento gostaria de velo onde encontro ? e-mail gui_piao@hotmail.com

    ResponderExcluir
  27. tbm sou da familia barros
    meu face
    http://www.facebook.com/tom.s.barros

    ResponderExcluir
  28. Sou da familia menezes cavalcante de barros, meu bisavo era proprietário de engenhos de açucar em Pernanbuco e na paraiba.
    Meu nome é Aderbal Cavalcante de Barros.
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  29. sou giovani barros e descobri de vim muito maneiro tenho 14 anos e sou um dos mais novos barros rsrs

    ResponderExcluir
  30. bom dia aqui e claudineide eu tbm gostaria de saber mas sob esse assunto pois tbm sou decedente dos barros sou que eu tbm tenho santos a minha mae que veio dos barros

    ResponderExcluir
  31. Olá, eu gostaria de saber a origem da família Barros em Portugal.
    Sou da ilha da Madeira, tenho 17 anos. E estou muito interessada em descobrir os meus antepassados. Queria saber como é que os Barros vieram parar a esta ilha. Gostava que me ajudasse nesta descoberta.
    O meu e-mail: p1poca@hotmail.com
    Aguardo a sua resposta, atenciosamente,
    Carolina.

    ResponderExcluir
  32. Olá, curti muito a postagem sobre a Família Barros,. Gostaria de ter acesso a esse documento do Brasão, se possível...

    Obrigada, desde já!
    facebook: http://www.facebook.com/penelopbarros

    ResponderExcluir
  33. Orlando Abril/2012

    foi bom saber que tem pessoas que não permite morrer nosso nome Real, fico feliz.
    sou da familia Lopes de Barros, se possivel mande para mim algo mais.
    ojbarros50@gmail.com

    ResponderExcluir
  34. Uma coisa é certa devemos ser todos parentes mesmo vejo que procuramos não deixar nossas origens ser esquecida, ter o sangue Barros na veia faz com que nosso sobrenome perpetue por mais algumas gerações.
    Sou Robério Barros Da Silva tenho 37 anos nascido em Paulo Afonso Bahia, filho de Jose Barros Da Silva nascido em Pesqueira Pernambuco e Neto de Cateliado Barros Da silva.
    Espero com muita ansiedade ter acesso a esse Documento, para postar em minha sala de estar.com minha Arvore Genealógica.
    Email: roberiomig@hotmail.com

    ResponderExcluir
  35. Uma coisa é certa devemos ser todos parentes mesmo vejo que procuramos não deixar nossas origens ser esquecida, ter o sangue Barros na veia faz com que nosso sobrenome perpetue por mais algumas gerações.
    Sou Robério Barros Da Silva tenho 37 anos nascido em Paulo Afonso Bahia, filho de Jose Barros Da Silva nascido em Pesqueira Pernambuco e Neto de Cateliado Barros Da silva.
    Espero com muita ansiedade ter acesso a esse Documento, para postar em minha sala de estar.com minha Arvore Genealógica.
    Email: roberiomig@hotmail.com

    ResponderExcluir
  36. Tambem sou Barros, meu avô materno Geronino Marinho de Barros hoje ja falecido foi nascido no municipio de Itapipoca-CE, onde ha alguns Barros ainda por la. Sou apaixonada pela historia de origens de familias e se tivesse condições financeiras pesquisaria a historia de meus antepassados. (Diana Barros)- aramlis.angela@hotmail.com

    ResponderExcluir
  37. Eu tambem sou uma Barros, minha familia por parte de pai é toda Barros, meu avô paterno se chamava Manoel Miguel de Barros, também era de pernambuco e de familia portuguesa..queria mais informações. meu email: adrielle3v@gmail.com.
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  38. Oi meu nome é Wanderson de Barros França também sou dessa linhagem e gostaria de alem de conhecer mais dessa historia, conhecer os meus familiares distantes. caso alguém se identifique meus contatos abaixo.
    wan_bf@aedu.com
    https://www.facebook.com/wanderson.debarros

    ResponderExcluir
  39. Gostaria de acessar este documento tbm. Meu nome é Leonardo Bernardes de Barros
    barrosleao@gmail.com

    ResponderExcluir
  40. Interresante! sempre quis saber a origem da familia BARROS!

    Sou neto de Antonio Alexandre Campos de BARROS' ele era de POMPEO-MG


    casoo alguem ja ouviu entre em contato..

    abrunosb@hotmail.com..

    abrass

    ResponderExcluir
  41. eu tambem sou da familia barros com muito orgulho meus dois avores eram todos dois da familia barros sou do ce

    ResponderExcluir
  42. me chamo luis henrique ferreira de Barros, meus avós paternos que são Barros são naturais de Recife !! Gostaria se possível ter acesso ao documento !! e se houver alguém da mesma linhagem de recife meu e-mail é
    luis_ferreira20@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  43. Também sou da familha Barros e fiquei muito feliz em saber que tenho familha em outros estados sou de Recife PE ... haa mim chamo Rayane barros da silva

    ResponderExcluir
  44. JOANA D'arc Barros meus avós paternos que são Barros,Severino Barros da Silva e Maria do Carmo Dias de Barros (FALECIDOS)
    contatos:
    jdarc1199@hotmail.com
    face: joana darc

    ResponderExcluir
  45. Olá,
    Sou Wanderson da Silva Barros nascido em São Paulo filho de Valdomiro Alves de Barros nascido na Bahia e Ana Maria da Silva nascida em Alagoas, gostaria muito de receber tb esse documento.
    Um abraço a tds que de certa forma faz parte da minha família

    wanderson@wanmaxfree.com.br ou
    wanmaxfree.barros@gmail.com

    ResponderExcluir
  46. Maravilhoso o documentário, Eu sou Barros e Também sou Pimentel...
    sendo assim sou Barros Pimentel
    Adoraria saber agora a origem do Pimentel
    Meu e-mail ( l_n_records@hotmail.com )
    obrigado

    ResponderExcluir
  47. olá, meu nome é Antonio Carlos de Barros, meus avós paternos se chamavam Manoel Ferreira de Barros e Deolinda Maria de Jesus, gostaria de conhecer mais pessoas de minha família. Sou da cidade de Cabreúva sp.
    acbarros2008@hotmail.com

    ResponderExcluir
  48. Sou da Familia Barros, poderia me mandar esse documento tambem?
    paulo.esantos@yahoo.com.br
    Grato

    ResponderExcluir
  49. ola, também sou da família Barros e gostaria muito desse documento por favor me envie, meu e-mail é dandara.barros@hotmail.com
    grata

    ResponderExcluir
  50. Meu avô materno que faleceu com 104 anos era Francisco de Paula Barros nasceu em MG gostaria de acessar os documentos isabellaegreter@hotmail.com

    ResponderExcluir